• 11 3147 - 3688
  • caep@caep.com.br
bandeirinhas50x50

We put learning to work!

united-states

INTERCÂMBIO AGRÍCOLA

PERGUNTAS FREQUENTES

Melhores Períodos

Austrália: Novembro (embarque em Março); Março (embarque em Julho) e Maio (embarque em Setembro).

Canadá: Novembro

EUA: Preferencialmente em Julho (para a maioria dos programas); Abril (para o programa de Enologia).

Holanda: Os embarques ocorrem de Março a Setembro. A inscrição deverá ser realizada com pelo menos 5 meses de antecedência à data de embarque.

Nova Zelândia: Abril

Não. Esse período compreende os meses de Inverno nos países do Hemisfério Norte e por isso, já não há mais atividade agrícola a ser realizada.  No caso dos países do Hemisfério Sul, como a Austrália e Nova Zelândia, os fazendeiros não aceitam intercambistas por um período tão curto.

Depende da área de interesse, mas geralmente logo após o inverno, (período do intercâmbio- Março até Outubro). Este melhor período também vale para todos os países do Hemisfério Norte, onde o inverno ocorre nos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro (oposto ao Brasil).

Dependendo do país e a área de interesse, o período mínimo é de 3 meses. Geralmente cada programa tem um período pré-estabelecido.

Você pode e deve se inscrever com 120 a 150 dias de antecedência ao embarque. Assim terá tempo suficiente para enviar a sua documentação completa (application form preenchido e demais documentos requeridos), se programando para a data que pretende embarcar.

Países

Austrália

A maioria das etapas do processo seletivo para o intercambio agrícola podem ser realizadas de outros países, porém, o processo de visto deve ser feito no Brasil. Neste caso, você pode enviar seu formulário de aplicação (application form) preenchido e demais documentos requeridos, de outro país, desde que esteja retornando ao Brasil em breve.

Agricultura (geralmente fazendas mistas) Bovinocultura de leite e corte.

Israel

Não. Depois de vencido o seu prazo de permanência no Kibbutz, você deve deixar o país.

Não. Você receberá visto de voluntário para trabalhar no Kibbutz e não de estudante.

Depende. Você poderá contatar alguma Universidade e ver os procedimentos, principalmente de visto. O CAEP não auxilia nesse processo.

Depende. Se você tiver a oportunidade, durante os trabalhos, de frequentar aulas, sim.

Agricultura, serviços sociais, indústria ou turismo. Ao chegar em Israel você pode escolher qual tipo de Kibbutz deseja ir, desde que haja vagas disponíveis, do contrário será colocado no Kibbutz em que houver uma vaga disponível.

A princípio você deve estar no Brasil para fazer o seu exame médico, procedimento requerido para a colocação no programa.

Holanda

Não, para Holanda, é preciso estar vinculado à alguma instituição de ensino Agronômico, podendo ser graduação, mestrado, pós, desde que o estudo seja comprovado por cartas e que nas mesmas conste que há necessidade de ir para Holanda, como atividade obrigatória para a conclusão do curso.

De 3-6 meses. Sempre com a volta em novembro, já que é um requisito do país.

Nova Zelândia

Canadá

Burocrático não, mas é bastante demorado. Pode levar de 3 a 5 meses para ser aprovado.

Estados Unidos

Não existe uma cultura específica, mas eles produzem muito: grãos, carne, leite, hortaliças, frutas, etc.

Não, na verdade são os fazendeiros no exterior que escolhem os participantes. A não ser que você já esteja colocado em alguma fazenda (pré-placement). Aí, nesse caso específico, a CAEP não precisa fazer a busca pela colocação e faz somente a parte burocrática da colocação já aprovada.

Depende da área de interesse. Nos Estados Unidos, são poucas as áreas que têm embarque em julho.

Desde que você tenha bastante experiência prática na área e estando consciente de que este é um intercâmbio agrícola prático (trabalho) com Equinos e não um hobby.

Não. O programa na área de Enologia, ocorrem somente nos EUA, nos meses da colheita da uva e fabricação do vinho nas vinícolas (de agosto a novembro).

Cellar: Produção de vinho

Laboratório: Análises laboratoriais do vinho.

OBS: Não há atividade na produção de uva.

Documentos

Não. O processo do passaporte é todo feito pelo candidato.

Depende do local de emissão.

Não, para iniciarmos o processo, precisamos do passaporte válido do candidato.

Não. Mas se por acaso você quiser dirigir nos exterior, terá que ter a PID em mãos. Alguns fazendeiros exigem a PID, mas isso será informado com a chegada da confirmação da colocação.

Entrevista

Somente depois do candidato se inscrever no site, preencher o application form e enviá-lo, juntamente com os demais documentos requeridos. A CAEP entrará em contato por e-mail para agendar a data e a hora.

A entrevista tem como objetivo principal, avaliar o inglês do candidato, mas também tem finalidade informativa, tanto para o candidato a intercâmbio agrícola como para a CAEP. Estar bem informado sobre o funcionamento do intercâmbio é de fundamental importância.

Em média de 20 a 30 minutos.

Na entrevista são feitas perguntas pessoais e profissionais, para avaliar o nível de inglês do participante e conhecê-lo um pouco mais.

Não, desde que o aluno esteja preparado.

Nível de Inglês

O teste de inglês é na maioria das vezes oral, no qual são feitas algumas perguntas para verificar se o candidato tem realmente condições de se comunicar em inglês.

Depende do seu nível de comunicação na língua. Geralmente, é difícil ser aprovado, se você não se dedicou ao aprendizado/aperfeiçoamento do idioma. Porém há participantes, que mesmo sem frequentar uma escola de inglês, têm uma boa comunicação em inglês, porque têm o hábito diário de estudar o idioma por conta própria.

Sempre. O estudo do idioma deve ser contínuo.

Sim. Se a comunicação com o fazendeiro for insuficiente, ele pode entender que um dos objetivos do programa não está sendo alcançado e solicitar o desligamento do intercambista.

Geralmente as fazendas com produção de grãos. A comunicação é feita via rádio entre os intercambistas, que estão dirigindo as máquinas agrícolas, e o fazendeiro (o que a torna mais difícil). Essa comunicação precisa fluir para que as atividades sejam realizadas com êxito.

Sim. Desde que o seu nível de conversação seja bom.

Se nesse curto período, você tiver alcançado uma boa comunicação no idioma, pode sim. Para saber se realmente você tem condições de participar, você pode solicitar a realização de um teste simples de inglês, para que o entrevistador tenha uma noção real da sua comunicação.

O entrevistador irá lhe dizer em quanto tempo você pode se reaplicar.

Intermediário e avançado. Comunicação é essencial para o sucesso de qualquer programa de intercâmbio. Quanto maior o nível de comunicação em inglês, melhor será o seu desempenho durante o intercâmbio agrícola. 

Não. O foco do intercâmbio agrícola é o aperfeiçoamento técnico. O aperfeiçoamento do inglês é uma consequência e por isso não pode ser o motivo principal ao fazer o programa.

Se você quer fazer o intercâmbio agrícola somente para aprender inglês, não recomendamos.

A princípio não, uma vez que dificilmente você conseguirá conciliar as atividades diárias do intercâmbio agrícola a um curso de inglês. 

Processo de Seleção

Para participar o candidato deve ter os requisitos exigidos, como estar na faixa etária adequada, ter experiência prática na área de interesse e ter uma boa comunicação em inglês.

Sim, porém quanto melhor o candidato preencher os requisitos do programa, mais chances de colocação ele terá.

Não necessariamente. Se o candidato é bastante qualificado e se aplicou ao programa na época correta, terá grandes chances de colocação.

Sim. Lembrando que a aprovação no Brasil representa mais de 90% de chances da concretização do intercâmbio agrícola, porém a colocação oficial depende da escolha dos fazendeiros no exterior.

Não necessariamente. Você pode estar cursando uma área distinta, porém precisará ter pelo menos 5 anos de experiência na área de interesse para poderá participar. Esse é um requisito do visto.

Sim, para a maioria dos países, porém para a Holanda é necessário que o participante ainda esteja vinculado à uma instituição de ensino agrícola.

Um dos requisitos fundamentais para participação nos programas de intercâmbio agrícola, é a experiência prática. Por isso, recomendamos que se busque a experiência prática primeiro para depois participar do programa.

A coordenação do país de interesse, manda o application do participante para os fazendeiros/empresários da área de interesse. E são eles que escolhem os intercambistas para a temporada seguinte. Por isso é tão importante preencher os requisitos de experiência prática e nível de inglês, porque são fundamentais para uma colocação ser confirmada.

Lembrando que cada área tem uma experiência prática e nível de inglês específicos.

Colocação

Depende da área de interesse, mas geralmente não. As colocações em fazendas ocorrem em locais afastados dos grandes centros. Somente o programa nas greenhouses pode ser um pouco mais próximo às cidades.

Sim. Depois de confirmada a sua colocação, você receberá o PA (Placement Advice), ou seja, a notificação da sua fazenda antes mesmo de solicitar o visto. Neste documento há todas as informações do seu programa de intercâmbio agrícola.

Endereço completo da fazenda com telefone e e-mail, aeroporto que você deverá chegar, datas de início e término do seu programa de intercâmbio agrícola, descrição de todas as atividades da fazenda, informações da comunidade e lazer, valor da remuneração, nome do seu coordenador no exterior, entre outras informações importantes. 

Independentemente da área de intercâmbio agrícola, a carga horária pode variar de 30 a 70 horas semanais. Isso vai depender da área de interesse e da época do ano (alta temporada ou baixa temporada).

As coordenadoras no exterior buscam sempre atender a área desejada pelo candidato. Caso a CAEP não consiga uma colocação exatamente na sua área de interesse, você será notificado (e-mail ou telefone) sobre as possíveis alternativas.

Recomendamos que você aguarde a chegada da confirmação da sua colocação no exterior, para então se desligar do local atual de trabalho.

Pagamento de Taxas

Não, somente o EUA conta com essa opção e somente quando o período de intercâmbio agrícola for maior que 6 meses.

Troca de Fazenda

Depende dos motivos que o levaram a querer trocar de local do intercâmbio. Você deve expô-los ao seu coordenador, que irá analisar o seu ponto de vista e o seu desempenho nas atividades, para avaliar se há possibilidade de troca.

Recomendamos que você sempre se comunique com o seu host (fazendeiro). Ele é o primeiro que poderá lhe ajudar mais rapidamente. A coordenação da CAEP também estará pronta para auxiliá-lo sempre que for necessário.

Depende. Você deverá considerar a sua área de interesse antes de viajar. Para trocar de área você deverá ter motivos convincentes e conversar com o seu coordenador no exterior.

Não. Todo visto para esta categoria de Intercâmbio deve ser processado no Brasil.

A princípio, não. O seu programa é destinado apenas a um local de intercâmbio. Também não podemos garantir que o seu período será de 12 meses, uma vez que cada área de treinamento tem um período específico.

Assistência

Os coordenadores da CAEP vão assisti-lo durante todo o programa de intercâmbio e oferecem todo o suporte e assistência aos alunos que precisam de informações ou têm alguma dúvida.

Primeiramente deverá nos avisar sobre a sua pré-colocação, para avaliarmos se já temos convênio com a fazenda em que você está pré-colocado (a) ou se será necessário firmá-lo. Depois deverá fazer o processo normalmente. A diferença é que no seu caso, a busca por uma colocação não será necessária e você já terá um local garantido para o programa.

Sim. Desde que você tenha as qualificações para participar do intercâmbio e desde que o host daquela fazenda te aceite previamente. Você deverá fazer os mesmos procedimentos para o intercâmbio agrícola, porém a busca por uma colocação não será necessária, uma vez que você já está pré-colocado (a).

Você terá orientação do próprio fazendeiro grande parte do tempo. Durante seu período no exterior, você terá a assessoria da coordenação do intercâmbio e possivelmente algumas visitas de supervisores, dependo do país e região do intercâmbio agrícola.

Alojamento

Na grande maioria são simples, porém confortáveis. Em casa de família ou em local separado, geralmente com a possibilidade de ter um quarto individual ou compartilhado. Em alojamento separado, o local é todo equipado para receber o intercambista.

Não. Quando a coordenação encontra uma fazenda para o intercâmbio agrícola, esta nem sempre atende a preferência do intercambista.

Sim. Nas fazendas há máquinas de lavar e de secar.

Geralmente quando você receber uma remuneração superior ao valor mínimo combinado.

Remuneração

Você irá receber por hora, quinzenalmente ou mensalmente. O fazendeiro paga através de cheque/depósito/dinheiro. Ele irá orientá-lo a abrir uma conta bancária, para fazer o depósito ou para que você possa descontar o cheque, caso seja necessário.

Geralmente o fazendeiro te orienta como esse processo deve ser feito, uma vez que em cada país pode haver processos diferentes do que estamos acostumados aqui no Brasil.

Sim. Isso vai depender do local de colocação. Lembramos aos candidatos para o intercâmbio agrícola, que a remuneração não deve ser o principal motivo de interesse ao fazer o programa.

Depende do local em que você for colocado. Em alguns placements, o fazendeiro paga a hora extra, em outros ele faz um banco de horas e quando for possível, você terá mais dias de folga.

Não. O visto permite que você exerça somente as atividades listadas no seu Training Plan (Plano de Treinamento).

Gastos Pessoais

Na fazenda você terá alojamento, porém a alimentação fica por sua conta (comprar a própria comida e cozinhar). Além dos gastos pessoais com materiais de higiene pessoal, roupas, sapatos, contas telefônicas, lazer e viagens. Muitos intercambistas compram carros para terem mais liberdade e comodidade ao sair nas folgas.

Geralmente sim. Há intercambistas que gastam mais e outros menos. Mas em geral a remuneração é considerada mais do que suficiente, visto que os jovens não têm gastos com alojamento.

Depende de como o intercambista gere a sua remuneração. Uns compram mais, passeiam mais, vão a restaurantes caros, etc. E por isso, terão custo de vida mensal maior. Já outros poupam mais, saindo menos, viajando menos, etc, e consequentemente, terão custo de vida mensal menor.

Bagagem

Não. Recomendamos que os alunos levem poucas roupas e de preferência as que mais gostam. Todo intercambista ao retornar ao Brasil, terá muita bagagem, podendo ser necessário pagar excesso de peso. Roupas no exterior costumam ser baratas e mais apropriadas para o clima da região.

Isso fica a critério de cada um, mas nós recomendamos, pois esse é um gesto muito importante, que demonstra gratidão pela família que vai te hospedar. Eles vão realmente gostar. Pode ser um simples objeto que simboliza ou lembra o Brasil. Se você deixar para comprar na última hora nos aeroportos, pode custar mais caro! 

Treinamento

Não. A CAEP parte do princípio que todo aluno interessado já tenha experiência prática na área de interesse. 

É normal que isso aconteça, pois você não está acostumado com as técnicas utilizadas naquele país. Sempre peça para te explicarem detalhadamente, caso não entenda, peça para que te mostrem na prática. “Show me how to do it!”.

Não. Assim que terminar o intercâmbio agrícola, seu programa de será finalizado e você poderá ficar até 30 dias a mais (período permitido pelo visto), caso queira viajar lá.

Seguro-Saúde

O seguro saúde do exterior não funciona como nosso plano de saúde aqui no Brasil. Ele cobre somente situações de real emergência. Exames e consultas de rotina não estão cobertos.

Férias e Viagens

Sim. Muitos intercambistas aproveitam seu período de férias após o intercâmbio, para viajar, geralmente em companhia de amigos, vizinhos ou parentes que vão visitá-los. Quando uma viagem é bem programada, pode custar barato e se dividido entre mais pessoas, melhor ainda! Muitos viajam de carro, conhecendo o país, ou de avião, visitando os grandes centros. Essa é uma grande oportunidade de conhecer lugares novos durante a sua permanência no exterior.

Sim, você sempre poderá ir, desde que combine antes com o seu host, verificando se você pode realmente se ausentar naquele período. Não esqueça de dizer onde está indo, com quem e quando volta, mantendo-o informado.

Visto

Não necessariamente. Temos um bom índice de aprovação entre os nossos intercambistas, porém é fundamental que os candidatos comprovem raízes no Brasil. Nós faremos a orientação com relação aos documentos que devem ser levados no dia da entrevista de visto, para que o vínculo com o Brasil seja comprovado.

O visto J1 de intercâmbio permite que você fique até 30 dias após o termino do seu programa, caso queira viajar. Se você ficar além desse tempo, você será considerado ilegal.

Comportamento / Responsabilidade

Se for pego por algum policial em um bar, será multado e se for pego dirigindo embriagado, será preso e deverá pagar fiança. Sendo assim, se causar transtornos, será dispensado do Intercâmbio agrícola. Portanto fique atento! As leis no exterior realmente são cumpridas a rigor!

Geralmente não, os alojamentos comportam somente os intercambistas.

Seja atencioso, trabalhador, procurando fazer não somente o que lhe for pedido. Esteja sempre disposto e pronto para qualquer atividade, ajude nas tarefas da casa no tempo livre, mantenha o seu quarto organizado e limpo e sempre estude inglês para que possa ter mais entrosamento com seu host. 

Outros

Não necessariamente. Você tem a liberdade de comprá-la em sua agência de preferência, caso tenha uma oferta melhor. Porém, você deve desembarcar no aeroporto que estará indicado quando sua colocação for confirmada. E deverá nos comunicar sobre a compra, repassando todos os dados do bilhete aéreo. Se isso não for feito, você poderá ter problemas na sua chegada ao país de destino.

Sim. Mas lembre-se que todo o processo deve ser feito e encaminhado para que você tenha condições de iniciar o intercâmbio agrícola antes de completar 29 anos. Para quem está para completar ou já completou 29 anos e mesmo assim tem interesse em participar, pedimos que faça a inscrição e iremos analisar seu Application.



Nossas
Afiliações:
brasil.jpg
512x512bb.jpg
atoi.jpg

Telefone: 11 3147-3688 (2ª à 6ª das 9h às 18h)
Av. Paulista, 1471 – 7º andar – São Paulo, SP – 01311-927
caep@caep.com.br

CAEP Estados Unidos:

Telefone: +1-218-739-3241
112 E. Lincoln Avenue – Fergus Falls, Minnesota – 56537
caep@caep.org